Tecnologia e captação de recursos impulsionam ações comunitárias na segurança pública

Por Assessoria de Imprensa

Imagens de reprodução de tela

A tecnologia e a captação de recursos são as duas principais aliadas do movimento comunitário para a execução de projetos e ações em apoio à segurança pública. Sistemas independentes de videomonitoramento, o uso responsável das redes sociais e a aquisição de viaturas e equipamentos para as polícias são apenas exemplos que estão se reproduzindo em todo o Paraná por iniciativa dos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEG), que reúnem moradores dos bairros das grandes cidades ou de pequenos municípios inteiros para buscar soluções para problemas localizados de criminalidade.


"Essas pessoas fazem um dedicado trabalho voluntário e sei que enfrentam muitas dificuldades. Mas dependemos delas porque são elas que vivem nas comunidades, conhecem cada realidade e são muito participativas. Além disso, elas têm realizado ações preventivas importantes, que estão se tornando verdadeiros modelos de sucesso. O resultado tem sido a redução localizada da criminalidade. Por isso, esta audiência pública também tem o intuito de homenagear todos os que fazem parte desse movimento que precisa crescer e ser fortalecido“, ressaltou Delegado Recalcatti (PSD).


O parlamentar foi o proponente da audiência pública da Assembleia Legislativa com o tema "CONSEG - Um bom exemplo para o bemm comum", que aconteceu em modo virtual na noite de quinta-feira, 08. Com a presença de diversas autoridades, o debate na sala virtual foi transmitida pela TV Assembleia e redes sociais do legislativo. O coordenador estadual dos CONSEG, coronel Chehade Geha, ressaltou que o movimento tem ido além do trabalho com a segurança pública. “Temos visto que os CONSEG têm atuado além desse setor, distribuindo cestas básicas, sopão e mantimentos para quem acabou perdendo renda nesse momento tão delicado que vivemos por causa da pandemia”, afirmou o coronel Chehade.

O evento aconteceu em homenagem ao Dia Estadual dos CONSEG, comemorado no dia 2 de abril e instituído por Lei de 2017 de autoria de Delegado Recalcatti. “Em razão do feriado da Semana Santa, decidimos realizar nosso encontro hoje (quinta-feira) porque não podemos deixar de homenagear esses guerreiros e guerreiras que lutam pela qualidade de vida de suas comunidades", explicou o parlamentar. Para isso, ele convidou representantes dos CONSEG de bairros de Curitiba e de Mandaguaçu que relataram experiências bem sucedidas de redução da criminalidade por meio de ações simples.


O uso de equipamentos de videomonitoramento zerou a criminalidade, como assaltos a residências e a mão armada, nas ruas em que foram instaladas as câmeras financiadas inicialmente pelos moradores e empresários do Jardim das Américas, em Curitiba, conforme explicou a presidente do CONSEG do bairro, Margareth de Andrade Nascimento. O sistema fez tanto sucesso que, segundo Margareth, uma empresa decidiu financiar a instalação de câmeras praticamente em todo o bairro, localizado na Zona Oeste de Curitiba. No momento, esses novos investimentos atravessam por trâmites burocráticos.


A presidente do CONSEG do Centro Cívico (Curitiba), Valéria Prochman, descreveu em detalhes como essas organizações populares devem se relacionar com os órgãos públicos, obtendo a atenção e ações governamentais em suas comunidades. Segundo ela, a formalização e a documentação de um CONSEG devem ser o primeiro passo e estar em dia. Na prática, os pedidos e pleitos das comunidades devem ser realizadas de forma objetiva e sempre documentada por meio de ofícios e anexos. A redação de um texto, explicou, deve seguir as normas técnicas para ser melhor compreendida e agilizar a sua tramitação.


Em Mandaguaçu, os dirigentes do CONSEG têm trabalhado com a captação de recursos utilizando Termos de Fomento, que são instrumentos legais para a formação de parcerias entre organizações da sociedade civil e o setor público envolvendo repasses de recursos financeiros. Para falar sobre a experiência, participaram da live o presidente do CONSEG, João Dacome, o vice Fernando Vandresen e o secretário municipal de Segurança Pública, Alessandro Mansano. Com o dinheiro captado, foram adquiridas viaturas e equipamentos e realizadas reformas de Delegacias e postos da PM, além de financiar programas de educação contra as drogas nas escolas. O resultado foi a redução de 50% da criminalidade no município.


Na Vila Hauer, em Curitiba, o presidente do CONSEG, Rodrigo Vidal, utiliza as redes sociais de forma responsável e com regras rígidas para a mobilização da comunidade. Mais uma vez, o resultado tem sido surpreendente. As lives das reuniões do CONSEG contam com pelo menos 8 mil visualizações, comprovando o envolvimento dos moradores do bairro quando o assunto é segurança pública. Vidal utiliza grupos de Whatsapp e no Facebook para disparar alertas de flagrantes, riscos iminentes e ocorrências policiais na região. A página no Facebook possui 30 mil seguidores.


Também relataram experiências bem sucedidas o presidente do CONSEG do município de Bandeirantes, Nelson Santos, e do bairro Capão da Imbuia, Amabilon Dalcomune. O coordenador estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança fez um pronunciamento em homenagem ao trabalho dos CONSEG em todo o estado e um breve relato sobre as mudanças ocorridas durante a sua gestão no órgão, que é vinculado à Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária.


Coronel Chehade foi citado diversas vezes pelos oradores por seu trabalho à frente da Coordenação na homologação, fiscalização, orientação e supervisão das atividades dos CONSEG. Delegado Recalcatti lembrou ainda o pioneirismo do Paraná na organização do movimento comunitário voltado para ações coletivas em favor da segurança pública. O dia 2 de abril foi escolhido para comemorar o Dia Estadual do CONSEG porque, nessa data, foi registrado oficialmente o primeiro CONSEG do Brasil em Londrina. Algumas semanas depois, foi fundado o conselho de Maringá.


O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador Tico Kuzma, ressaltou a necessidade de se retomar o debate para a instalação do Conselho Municipal de Políticas Públicas de Segurança de Curitiba (Consep), conforme Lei tratada, aprovada e sancionada em 2015. O presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Curitiba, Luiz Vecchi, foi quem provocou o tema durante as falas das autoridades presentes. O empresariado esteve representado pelo coordenador da Câmara Setorial da Segurança, da Associação Comercial do Paraná (ACP), Newton Campos.


O vereador Jornalista Márcio Barros, presidente da Comissão dos Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e das Segurança Pública, falou da importância da mobilização popular em torno de ações comunitáras que podem mudar a vida das pessoas. Também participaram da sala virtual de autoridades o comandante da Guarda Municipal de Curitiba, Carlos Celso dos Santos Junior, o coronel Zampieri e o tenente-coronel Matsumoto, que representaram, respectivamente, o coronel Rômulo Marinho, da SESP, e o coronel PM Hudson, comandante da PMPR.

  • ico_face_B
  • ico_ista_B
  • ico_yout_B