Delegado Recalcatti volta a pedir pagamento da data-base aos servidores estaduais

O deputado Delegado Recalcatti (PSD) voltou a defender nesta segunda-feira, 15, a retomada do pagamento da data-base aos servidores públicos do Poder Executivo estadual, que acumulam perdas salariais de 16,6% nos últimos três anos. Há duas semanas, a Comissão de Segurança Pública, da qual Recalcatti é vice-presidente, encaminhou ao governo requerimento pedindo providências no mesmo sentido. “Enquanto os melhores salários do Poder Público são pagos aos outros Poderes, que não o Executivo, estes mesmos Poderes jamais deixaram de receber suas reposições”, afirmou.  

(Foto: Dálie Felberg / Divulgação Alep) 

 

“Com todo o respeito que tenho por todo o funcionalismo público, mas não podemos mais suportar a diferença dos repasses do Poder Judiciário, do Ministério Público, TCE e Assembleia, onde todos os servidores tiveram as suas reposições e o Poder Executivo ficou a ver navios”, completou. Ele reforçou a situação de insatisfação que existe entre os servidores e agentes das forças de segurança. “O salário de um policial civil ou militar que ganhe em média R$ 5.000,00 por mês, sem a reposição devida nesse período, deixa de perceber uma média de R$ 7.800,00 por ano”, exemplificou.

 

Com experiência de 40 anos na Polícia Civil, Delegado Recalcatti disse temer situações extremas, como ocorreu no Rio de Janeiro, em que policiais são obrigados a “fazer bicos” para complementar os rendimentos. “Foi dessa maneira que começou o caos da segurança no Estado do Rio de Janeiro, pois inicialmente os policiais começaram a fazer os chamados bicos – sem pagamento de reposições ou aumentos – e, depois, começaram a se organizar em grupos de segurança privada e assim se formaram as milícias”, destacou. “Temos que evitar que isso possa ocorrer também no Estado do Paraná”, advertiu.

 

LICENÇAS ESPECIAIS – Delegado Recalcatti comentou ainda a respeito das dificuldades que os servidores do Executivo enfrentam para obter as licenças especiais, previstas em Lei. Ele disse que os servidores dos demais Poderes, ao se aposentarem, obtêm o pagamento do benefício protocolando um simples requerimento administrativo. “Já os servidores do Executivo efetuam o requerimento e o mesmo é negado; entram na Justiça, ganham e o Estado recorre; vão ao Tribunal de Justiça, que nega o pedido; vão ao STF, onde ganham, para, finalmente, terem o seu crédito inscrito em precatório para receberem em 15 anos ou mais”, descreveu.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • ico_face_B
  • ico_ista_B
  • ico_yout_B

Gabinete na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná. 

Praça Nossa Senhora de Salete, s/nº. Edifício Pres. Tancredo Neves. Gabinete 001, Térreo. Curitiba, PR, CEP: 80530-911.

Telefone: (41) 3350-4335

E-mail: dep.delegadorecalcatti@gmail.com

  • ico_face
  • ico_ista
  • ico_yout